Famílias mais pobres são as mais penalizadas pela inflação

As famílias mais pobres são as mais penalizadas pela inflação, uma vez que gastam uma maior fatia do orçamento em bens essenciais, como é o caso da alimentação.

As famílias mais pobres são as mais penalizadas pela inflação, uma vez que gastam uma fatia maior do orçamento em bens que não podem ser alvo de corte ou substituição e nos quais é sentida com mais incidência a subida dos preços, desde logo na alimentação, na energia e a partir de agora na prestação da casa.

De um modo geral, as famílias com maiores rendimentos gastam uma menor proporção do seu orçamento em bens essenciais e mais em transportes, restauração, hotelaria, lazer, e cultura, sendo mais fácil fazer cortes e outros ajustes no perfil de consumo.

Além disso, as famílias mais ricas poupam mais, pelo que também podem escolher reduzir a poupança para manterem os níveis de consumo, uma margem de manobra que não é alcançável pelos consumidores com menos recursos.

No entanto, há famílias com menores rendimentos que, perante a inflação, não prescindem de manter o mesmo nível de consumo e para isso recorrem ao crédito, colocando a sua situação financeira em risco.