João Leão: “Portugal vai cumprir as metas orçamentais”

O Ministro das Finanças afirmou que “Portugal já retomou a trajectória de redução da dívida pública, que deverá diminuir de 135% em 2020 para 127% este ano.

O Ministro de Estado e das Finanças, João Leão, admite que os dados das contas nacionais do terceiro trimestre “permitem desde já garantir que, no conjunto do ano 2021, vamos, mais uma vez, atingir a metas orçamentais com que nos comprometemos com os portugueses e assegurar uma redução do défice orçamental para 4,3% do PIB”.

O Ministro, que falava numa conferência de imprensa sobre as contas do terceiro trimestre, referiu que “até Setembro deste ano Portugal reduziu o défice orçamental para 2,5%, uma redução muito expressiva de 3.700 milhões de euros face há um ano, e no terceiro trimestre foi verificado um excedente orçamental de 3,5%”.

João Leão sublinhou que “este é o trimestre em que o saldo é habitualmente melhor e que o Estado beneficiou de uma receita extraordinária de 1.100 milhões de euros do acerto de juros dos empréstimos do Programa de Ajustamento”.

Despesas com a pandemia

A despesa no Serviço Nacional de Saúde está a crescer 9%, o que significa que os portugueses colocaram mais 1.000 milhões de euros no SNS em 2021 do que em 2020. Foram contratados mais 14.000 profissionais de saúde desde o início da pandemia», dos quais 1.400 médicos e 4.800 enfermeiros.

A despesa com apoios de emergência às empresas e às famílias ficou cerca de 3 vezes acima do previsto no orçamento» para 2021, atingindo 5.000 milhões de euros, face aos 1.500 milhões previstos», para reforçar o layoff, no apoio a mais de 100.000 empresas na manutenção de 750.000 postos de trabalho e, no programa Apoiar, para ajudar a suportar outros custos fixos de mais de 40.000 pequenas e médias empresas.

Quanto à restante despesa do Estado, João Leão referiu que “deverá ficar exactamente em linha com o previsto no Orçamento do Estado, e, portanto, sem derrapagens”.

Redução da dívida

O Ministro das Finanças afirmou que “estes dados confirmam que Portugal já retomou a trajectória de redução da dívida pública (interrompida pela pandemia), que deverá diminuir de 135% em 2020 para 127% este ano e vamos cumprir pelo sexto ano consecutivo as metas orçamentais definidas”.