Portuguesa InnoWave abre hub tecnológico na cidade de Beja

O hub tecnológico é criado em colaboração com o Instituto Politécnico de Beja. A expectativa do grupo é contratar mais de 50 pessoas nos próximos três anos.
Tiago Gonçalves - CEO da InnoWave
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A Tecnológica Portuguesa InnoWave abre em Beja um novo Hub Tecnológico centrado nas áreas da Cibersegurança e da Internet of Things (IoT).

Criado em colaboração com o Instituto Politécnico de Beja, este hub irá reforçar e suportar as actividades de research and development (R&D) aplicadas ao desenvolvimento de produtos e soluções, e ainda incorporar, de forma integrada, os projetos e soluções da Dark Clarity (empresa de Cibersegurança) e da ViGIE (empresa de IoT) do Grupo InnoWave.

O projecto vai implicar o reforço das equipas de consultoria tecnológica e a contratação de novos recursos. A expectativa do grupo é contratar mais de 50 pessoas nos próximos três anos.

Este novo mundo do IoT, potenciado pela cloud, pela inteligência artificial e pelo 5G, abre possibilidades inimagináveis, mas leva também ao aparecimento de riscos significativos em termos de segurança. A ligação entre o IoT e a Cibersegurança é indissociável”, refere Tiago Gonçalves, CEO da InnoWave.

O risco pode ser um inibidor da inovação. É importante que o tema da Cibersegurança esteja presente desde a concepção das soluções e ao longo de todo o seu ciclo de vida. Só assim se podem evitar riscos desnecessários que podem aumentar os custos e o tempo de duração dos projectos. A metodologia que adoptamos segue esta filosofia que chamamos de cyber by design, e que garante a máxima eficiência no desenvolvimento mantendo os riscos controlados”, acrescenta Tiago Gonçalves.

Aposta no interior e na maior proximidade

Com a criação do hub tecnológico em Beja, e a colaboração com o Politécnico de Beja, com a Associação Empresarial do Baixo Alentejo e com a Câmara Municipal de Beja, a InnoWave pretende promover e aumentar a relação entre as empresas e o mundo académico.

Tiago Gonçalvez sublinha que “a ligação entre as empresas e o mundo académico tem de ser cada vez mais próxima. A realidade mostra que a maioria dos grandes projectos e startups nasceu nos meios académicos, e Portugal está entre os melhores, tanto no universo académico como no da inovação tecnológica“.

Só assim conseguimos inovar, partilhar conhecimento, ganhar novas competências, desenvolver as melhores soluções, estar mais próximos do nosso talento. Isto não devia ser um tendência, deveria ser uma realidade inquestionável. O Politécnico de Beja tem o melhor mestrado em Cibersegurança do País, um fantástico mestrado focado na componente Ofensiva, e outro em Internet of Things. Tenho a certeza que irão nascer grandes projetos desta parceria”, acrescenta.

Para o professor Rui Silva, coordenador do Lab UbiNET do IPBeja, “esta iniciativa da InnoWave é muito relevante para o IPBeja, para a região, para o desenvolvimento tecnológico, e para a própria InnoWave. Promove a atractividade do IPBeja a novos estudantes na áreas da Novas Tecnologias, e em particular nas áreas da Cibersegurança e do IoT; potencia o desenvolvimento regional com a anunciada criação de 50 postos de trabalho no espaço de 3 anos; estimula a cooperação entre estudos avançados ao nível de Mestrados de Ciência Aplicada e a Industria de Inovação; e revela uma visão de vanguarda empresarial no estreitamento de relações com o meio académico”.

A InnoWave pretende criar uma rede maior de escritórios nas geografias onde está presente, para que os seus trabalhadores possam desempenhar as suas funções mais próximos do local onde querem residir.

Esta decisão está totalmente alinhada com a nossa missão de ‘Change Lives Through Innovation’. Neste caso, de apoiar o interior do país e contribuir para o desenvolvimento mais equilibrado do território Português, e de melhorar a vida dos nossos colaboradores, parceiros e clientes”, explica Tiago Gonçalves. “Mais do que um Centro de Talento, queremos ser uma referência em Cibersegurança e em IoT a nível nacional, europeu e mundial. Acreditamos que esta decisão estratégica potenciará o nosso crescimento nestas áreas de negócio nos próximos anos.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

DESTAQUES

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ÚLTIMAS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE