Renda mediana de novos contratos cresceu 7,4% no 3.ºT

No 3.º trimestre de 2021, a renda mediana dos 22.305 novos contratos de arrendamento em Portugal atingiu 6,08 €/m2, segundo o INE (dados provisórios).

No terceiro trimestre de 2021, a renda mediana dos 22.305 novos contratos de arrendamento em Portugal atingiu os 6,08 euros por metro quadrado. Este valor representa uma variação homóloga de +7,4% no país, inferior à observada no trimestre anterior (+11,5%). Houve, no entanto, uma redução do número de novos contratos de arrendamento face ao terceiro trimestre de 2020 (-4,2%), de acordo com os dados provisórios divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

Face ao terceiro trimestre de 2020, a renda mediana aumentou em 22 das 25 sub-regiões NUTS III, com os maiores crescimentos a verificarem-se na sub-região Alentejo Litoral (+16,6%), Beiras e Serra da Estrela (+16,4%) e Beira Baixa (+10,1%). As rendas mais elevadas registaram-se na Área Metropolitana de Lisboa (9,04 €/m2), Algarve (6,78 €/m2), Área Metropolitana do Porto (6,65 €/m2) e Região Autónoma da Madeira (6,28 €/m2).

Os dados provisórios, referentes ao terceiro trimestre de 2021, mostram um aumento homólogo da renda mediana em 23 dos 24 municípios com mais de 100.000 habitantes (17 municípios no trimestre anterior), evidenciando-se o Porto (+3,7%), Oeiras (+1,5%) e Lisboa (+0,1%) que apresentaram taxas de variação homóloga da renda mediana positivas pela primeira vez desde o 2º trimestre de 2020.