Repsol amplia gama de materiais de baixa pegada de carbono

Os novos materiais pretendem ajudar a promover soluções para as soluções de descarbonização no sector automóvel e circularidade na indústria das embalagens.

A Repsol desenvolveu uma nova gama de polipropileno com baixa pegada de carbono, para os sectores automóvel e de embalagens não alimentares, contribuindo para os modelos de circularidade.

Os quatro novos materiais de automação incorporam no seu fabrico até 80% de conteúdo reciclado, mantendo as propriedades técnicas necessárias para a sua aplicação. Os novos graus de polipropileno podem ser utilizados em sistemas de iluminação e peças invisíveis do interior do veículo, e ainda peças que se encontram sob o capô com propriedades mecânicas sujeitas a uma pressão extrema e com elevados requisitos de resistência.

A Repsol refere que, para o fabrico destes materiais, “utilizará plástico pós-consumo, mantendo a consistência de qualidade dos seus produtos, assegurando os elevados requisitos técnicos exigidos pelo sector”.

Além disso, em linha com o compromisso de economia circular, foram ainda incorporados outros três graus na gama de embalagens não alimentares Repsol Reciclex, que incorporam entre 50% e 80% de plástico reciclado. Estes três novos graus são indicados para embalagens de produtos de limpeza e de farmácia com requisitos de resistência química específicos, para embalagens de pintura que exijam boa resistência mecânica para permitir o seu empilhamento, entre outros.

A Repsol assume o compromisso de reciclar o equivalente a 20% de todas as poliolefinas que produz, criando novos mercados para os resíduos plásticos e promovendo a circularidade, dando um novo destino aos resíduos.