Subida das taxas de juro aumenta receios de incumprimento

Perante os indicadores actuais, os economistas avisam que é preciso olhar para o orçamento familiar de forma a evitar a entrada em situação de incumprimento.

O aumento do custo de vida, com a inflação em alta e a subida das taxas de juro do crédito à habitação, são factores propícios à entrada em incumprimento de muitas famílias que não têm rendimentos para suportar a escalada das despesas mensais por muito mais tempo.

Nos últimos anos, quem tem contratos de crédito à habitação com taxa variável, beneficiou de juros negativos e prestações baixas, uma aparente vantagem idealizada pelo Banco Central Europeu para agitar os mercados, mas que poderá ter criado as condições para uma tempestade perfeita, uma vez que não foram equacionados cenários como aquele que a economia enfrenta actualmente.

Perante os indicadores que surgem diariamente, os economistas avisam que é preciso olhar para o orçamento familiar de forma a evitar a entrada em situação de incumprimento.

Quem tem crédito à habitação com taxa de juro variável, indexada à Euribor, deve fazer contas ao rendimento, à evolução das despesas correntes e ao impacto da subida dos juros na prestação mensal. Estabelecer um orçamento mensal rigoroso, cortar algumas despesas e propor ao banco a passagem do crédito à habitação para a taxa fixa, são medidas que podem ajudar de forma significativa a ultrapassar a tendência inflacionista e a evitar a entrada em incumprimento.